Os verdadeiros ursos

Este video traz uma mensagem que nos leva à reflexão sobre nossos hábitos alimentares.
A obesidade já atinge números alarmantes e agora as crianças também sofrem com ela.
O video faz parte de uma série di site RealBears.org
 

Juliana Paes fez uma homenagem a você. Confira essa !!

 
 

 

 
 
Como este blog é bem democrático, tem posts para todos. Este é para os "marmanjos" ou "manolos" de plantão.
Neste site você vai ver com seus próprios olhos que Juliana Paes – a Gabriel do século XXI – tatuou seu nome e fez uma homenagem toda especial pra você.

Basta entrar no site abaixo e digitar seu nome e sobrenome. Depois é só curtir o resultadp.

 

Como inserir emoticons em seu Facebook

 
 
Fbsmileys

 
 
Nesta semana o pessoal do Facebook já percebeu que podem inserir smileys (emoticons ) em seus comentários ou mesmo no chat. Pensando nisto, o site Facebook Smileys se adiantou e postou uma lista de emoticons que já podemos usar.
O site tem uma lista completa do que funciona somente em chats ou de quais funcionam nos comentários e sites.
Muito útil mesmo.
 

Orquídeas com cara de macaco. Já viu essa?

 
 
 
 
Vejam só como a natureza ´r sábia e nos prepara belas surpresas. Estas oirquídeas têm seu no seu miolo a apar~encia de uma cara de macaco. Muito interesssante de se ver.
 
fonte via e-mail

E

ssas orquídeas maravilhosas encontram-se no sudeste do Equador e florestas peruanas, em locais de elevações de 1000 a 2000 metros e, portanto, não há muitas pessoas ao longo da história que tenham visto essas curiosas flores. No entanto, é graças a colecionadores intrépidos, que fazem qualquer coisa para ver esta interessante flor, conhecida como Macaco Orchid, que podemos apreciá-la. Não foi preciso muita imaginação para nomeá-la.Seu nome científico é Drácula símia, acenando para o fato de que esta orquídea notável carrega mais do que uma semelhança passageira com o rosto de um macaco. O Drácula (gênero) de seu nome, refere-se à estranha característica dos dois esporões longos das pétalas, que relembram as presas de um conhecido personagem da Transilvânia, de um certo conto de ficção.

A orquídea só foi nomeada em 1978 pelo botânico Luer, mas pertence a uma família com mais de 120 espécies encontrados, principalmente no Equador. Nas montanhas de nuvens, o macaco orquídea pode florescer a qualquer momento, não tendo uma época específica. Seu perfume se assemelha ao de uma laranja madura.

Maravilhosa Orquídea com cara de macaco
Maravilhosa Orquídea com cara de macaco

Maravilhosa Orquídea com cara de macaco

Maravilhosa Orquídea com cara de macaco

Maravilhosa Orquídea com cara de macaco

Maravilhosa Orquídea com cara de macaco

Maravilhosa Orquídea com cara de macaco
Maravilhosa Orquídea com cara de macaco

COISAS DA NATUREZA

Crônica: A extinção do professor

Esta crônica é mais uma reflexão muito séria para professores, pais e alunos sobre o futuro do ensino no nosso País.

Já faz um bom tempo que o mercado de trabalho vem sinalizando a falta de profissionais qualificados e com má formação acadêmica.

O brasileiro definitivamente está perdendo o hábito de estudar (se é que teve algum dia) e as escolas  só desmoralizam os professores a cada dia que passa.

A mídia ajuda a reforçar a situação mostrando todos os dias pessoas bem sucedidas às custas de 15 minutos de fama, promiscuidade, prostituição barata ou por profissionais que fazem pouco esforço e ganham dez vezes mais que um professor ou pesquisador.

Nossa população está se submetendo gradativamente ao emburrecimento quando dá crédito aos ultrapassados Realities Shows como o BBB ,enquanto outros espertalhões fazem a festa às custas do suor do povo ( você acha pouco arrecadar quase 1 trilhão em impostos enquanto pessoas morrem em filas de hospitais?)

Por fim, se este apagão de professores se confirmar – pois esta é uma ficção que está muito próxima da realidade – correremos o risco de perder vagas de emprego para estrangeiros mais bem preparados.

No dia do Professor, seria interessante que todas as pessoas tomassem consciência deste tipo de abuso e que sejam mais responsáveis pelo futuro de nosso País.

 

 

 

fonte da crônica a seguir – via e-mail

A EXTINÇÃO DOS PROFESSORES

 

O ano é 2.020 D.C. – ou seja, daqui a oito anos – e uma conversa entre avô e neto tem início a partir da seguinte interpelação:

 

– Vovô, por que o mundo está acabando?

 

A calma da pergunta revela a inocência da alma infante. E no mesmo tom vem a resposta:

 

– Porque não existem mais PROFESSORES, meu anjo.

 

– Professores? Mas o que é isso? O que fazia um professor?

 

O velho responde, então, que professores eram homens e mulheres elegantes e dedicados, que se expressavam sempre de maneira muito culta e que, muitos anos atrás, transmitiam conhecimentos e ensinavam as pessoas a ler, falar, escrever, se comportar, localizar-se no mundo e na história, entre muitas outras coisas. Principalmente, ensinavam as pessoas a pensar.

 

– Eles ensinavam tudo isso? Mas eles eram sábios?

 

– Sim, ensinavam, mas não eram todos sábios. Apenas alguns, os grandes professores, que ensinavam outros professores, e eram amados pelos alunos.

 

– E como foi que eles desapareceram, vovô?

 

– Ah, foi tudo parte de um plano secreto e genial, que foi executado aos poucos por alguns vilões da sociedade. O vovô não se lembra direito do que veio primeiro, mas sem dúvida, os políticos ajudaram muito. Eles acabaram com todas as formas de avaliação dos alunos, apenas para mostrar estatísticas de aprovação. Assim, sabendo ou não sabendo alguma coisa, os alunos eram aprovados. Isso liquidou o estímulo para o estudo e apenas os alunos mais interessados conseguiam aprender alguma coisa.

 

Depois, muitas famílias estimularam a falta de respeito pelos professores, que passaram a ser vistos como empregados de seus filhos. Estes foram ensinados a dizer “eu estou pagando e você tem que me ensinar”, ou “para que estudar se meu pai não estudou e ganha muito mais do que você” ou ainda “meu pai me dá mais de mesada do que você ganha”. Isso quando não iam os próprios pais gritar com os professores nas escolas. Para isso muito ajudou a multiplicação de escolas particulares, as quais, mais interessadas nas mensalidades que na qualidade do ensino, quando recebiam reclamações dos pais, pressionavam os professores, dizendo que eles não estavam conseguindo “gerenciar a relação com o aluno”. Os professores eram vítimas da violência – física, verbal e moral – que lhes era destinada por pobres e ricos. Viraram saco de pancadas de todo mundo.

 

Além disso, qualquer proposta de ensino sério e inovador sempre esbarrava na obsessão dos pais com a aprovação do filho no vestibular, para qualquer faculdade que fosse. “Ah, eu quero saber se isso que vocês estão ensinando vai fazer meu filho passar no vestibular”, diziam os pais nas reuniões  nas escolas. E assim, praticamente todo o ensino foi orientado para os alunos passarem no vestibular. Lá se foi toda a aprendizagem de conceitos, as discussões de idéias, tudo, enfim, virou decoração de fórmulas. Com a Internet, os trabalhos escolares e as fórmulas ficaram acessíveis a todos, e nunca mais ninguém precisou ir à escola para estudar a sério.

 

Em seguida, os professores foram desmoralizados. Seus salários foram gradativamente sendo esquecidos e ninguém mais queria se dedicar à profissão. Quando alguém criticava a qualidade do ensino, sempre vinha algum tonto dizer que a culpa era do professor. As pessoas também se tornaram descrentes da educação, pois viam que as pessoas “bem sucedidas” eram políticos e empresários que os financiavam, modelos, jogadores de futebol, artistas de novelas da televisão – enfim, pessoas sem nenhuma formação ou contribuição real para a sociedade.

(Autor desconhecido).

 

Cuidado com o que posta nas redes sociais

As redes sociais são ótimas ferramenteas desde que bem usadas: nem sempre você pode postar todas as suas atividades, fotos e check-ins de lugares que visita. Via e-mail e em outras ferramentas web funciona da mesma forma.
A maior reclamação dos usuários é a falta de privacidade mas, na maioria das vezes são eles mesmos que a violam por imprudência ou puro exibicionismo.
Por isso, seja bastante criterioso ao selecionar as iformações que posta. Evite subir fotos de sua família em grande quantidade, principalmente dos seus filhos pequenos ou adolescentes pois são facilmente alvos de pessoas malediscentes e oerversas (sabem do que estou falando, né?)
Evite fazer check-in de todos a sequencia de seu trajeto diário como se quisesse deixar rastros, por exemplo.
O vídeo a seguir é uma campanha de alerta aos usuários mostrando os riscos de sua superexposição na internet. A campanha encerra com o bordão”Seja vigilante”
Usae a internet e redes sociais é muito bom desde que seu uso seja consciente.

Fotos Históricas

Uma foto é a representação  e o testemunho vivo de um momento.

Nossa História é marcada por fatos que somente a kente de uma cãmera pode eternizar.
Esta apresentação contém alguns dos mais preciosos fatos e momentos históricos a serem revividos. Alguns nos trazem tristes lembranças de algo que a Humanidade não deve reviver

 

 

Curso HQ Cultura no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc

 
Image
 
 
O Centro de Pesquisa e Formação é uma nova unidade do Sesc que oferece cursos livres na área cultural.
No mês de Outubro, o Centro de Pesquisa e Formação recebe maria Cristina Merlo e convidados para o Curso HQ Cultura que começa no dia 16.
 
OConfira a seguir a programação do curso:
 

HQ Cultura

Apresentação do depoimentoo de profissionais envolvidos nas áreas de quadrinhos, que atuam em ambientes privados, públicos e em organizações sociais, envolvendo sua gestão em projetos artísticos e culturais.

Com Maria Cristina Merlo (Formada em Comunicação Social e Publicidade e Propaganda pela Universidade Anhembi Morumbi. Especialista em Projetos Culturais pela Fundação Getúlio Vargas. Mestre em Comunicação e Estética Audiovisual pela Escola de Comunicação e Artes – USP.)

Profissionais convidados:

Dia 16/10: Inovando no Bairro do Limoeiro. Apresentação sobre a trajetória da Mauricio de Sousa Produções no mercado de quadrinhos e também no setor de livros ilustrados nos últimos cinco anos, bem como os resultados que vem obtendo em seus nichos de atuação e os estudos de casos de sucesso. Com Sidney Gusman (Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Bernardo do Campo. É editor-chefe do Universo HQ. Na 19ª Bienal do Livro de São Paulo, em 2006, lançou o livro Mauricio – Quadrinho a Quadrinho, pela Editora Globo. Desde setembro de 2006 é responsável também pela área de Planejamento Editorial da Mauricio de Sousa Produções.) 

Dia 17/10: Usando Histórias em Quadrinhos sem medo, com finalidade pedagógica. Muitas vezes os professores e agentes culturais têm medo de usar as histórias em quadrinhos com finalidade pedagógica por desconhecerem sua linguagem. A proposta é mostrar sua utilização e observar os resultados para reforçar o conteúdo para o qual se propõem. Com Sonia Luyten (Doutora em Ciências da Comunicação pela ECA/USP, onde iniciou o pioneiro curso de História em Quadrinhos, em 1972. Autora dos livros “Comunicação e Aculturação”e “O que é História em Quadrinhos”, entre outros. Recebeu os prêmios Troféu Romano Calise (Itália),Prêmio MangaCom e Prêmio Angelo Agostini. Presidiu o Troféu HQ Mix de 2008 a 2011.)

Dia 18/10: 10 Pãezinhos, dois irmãos, uma história. Palestra cheia de imagens, apresentando a carreira dos irmãos gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá, desde o momento em que eles descobriram as histórias em quadrinhos até a decisão de serem contadores de histórias, direcionando suas escolhas para transformar a paixão em algo real. Com Gabriel Bá e Fabio Moon. (Contadores de histórias com trabalhos publicados no Brasil, EUA, França, Alemanha, Espanha, Itália, Grécia, Holanda e Japão. O último livro, Daytripper, estreou em primeiro lugar na lista de mais vendidos do NY Times, e foi escolhido como uma das melhores Graphic Novels de 2011 pela Publishers Weekly e pela Amazon.com, recebendo também os prêmios Eisner, Harvey e Eagle Awards. Atualmente, mantêm uma tira aos sábados na Folha de São Paulo chamada Quase Nada.)

 

Dia 19/10: Festivais de Quadrinhos: gestão e curadoria. Apresentação e discussão sobre os aspectos relativos ao planejamento, gestão, produção, comunicação  e curadoria de um festival de quadrinhos, tendo como foco o FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte. Com Afonso de Andrade(Graduado em História pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG. Foi Diretor de Arquivos Permanentes do Arquivo Público Mineiro e de Projetos e Atividades Especiais na Secretaria de Estado da Cultura(MG). Curador do Encontro das Literaturas, do Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte, e dos projetos Clube da Leitura e Conversa em Quadrinhos da Fundação Municipal de Cultura.)

 

Dia 20/10: HQMIX. Apresentação da trajetória que deu origem ao Prêmio HQMIX, considerado internacionalmente uma das principais premiações aos melhores quadrinhistas e artistas gráficos. Em quase 25 anos de existência, o Prêmio HQMIX permitiu a criação do Instituto do Memorial da Artes Gráficas do Brasil, da Associação de Cartunistas do Brasil, da HQMIX Livraria, e a constituição de um acervo com mais de dez mil originais de artistas brasileiros de distintas épocas e períodos. Com Gualberto Costa (Arquiteto e editor. Presidente do Instituto Memorial de Artes Gráficas do Brasil-­ IMAG. Fundador da Associação dos Quadrinhistas de São Paulo e organizador de diversos Salões de Humor Gráfico. Criador do projeto Memórias das Artes Gráficas na Biblioteca São Paulo, que conta com depoimentos de artistas como Ziraldo, Mauricio de Sousa, Edgar Vasques, Benício, Paulo Caruso, entre outros. Co-criador do Troféu HQMIX.)

Mercado de Quadrinhos e Novas Plataformas de Comunicação. Apresentação sobre o crescimento do mercado de quadrinhos nos últimos anos, os títulos publicados, desenhistas e leitores na última década. A linguagem da HQ tem buscado caminhos para sobreviver ao mundo eletrônico, e assim como o rádio sobreviveu à TV, os quadrinhos impressos estão encontrando diversas alternativas. Com José Alberto Lovetro – Jal (Jornalista e cartunista. Atual presidente da Associação dos Cartunistas do Brasil e coordenador do acordo “Mercosul do Humor” -Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. Ganhou o troféu Vladimir Herzog de Direitos Humanos pela participação na Campanha Diretas  Já de 1984. Foi responsável pela página de humor do jornal Debate e pela volta do personagem Amigo da Onça, de Péricles. Co-criador do troféu HQMIX.)

De 16 a 20/10. Terça a sexta, das 19h às 21h30 no Centro de Pesquisa e Formação que atualmente está hospedado no Sesc Vila Mariana mas em breve terá sua própria casa:

Rua Pelotas, 141 – 5° andar, Torre A (próximo ao metrô Ana Rosa)

Sábado, das 14h às 16h (o curso acontecerá no SESC Pompéia)

Rua Clélia, 93

As inscrições podem ser feitas em qualquer unidade do Sesc

Preço

R$ 60,00; inteira

R$ 30,00 ; Estudantes, Acima de 60 anos e Usuários Sesc

R$ 15,00: Comerciários