Aprendendo com o Japão!

A reação dos japoneses perante a tragédia de Fukushima é um exemplo que poderia muito bem ser aprendido por outros povos. O brasileiro, infelizmente ainda é um povo muito atrasado e mal educado que ainda copia os maus exemplos de governantes corruptos e idolatra a anti cultura. Claro que não se pode generalizar mas vejam as 10 atitudes apontadas abaixo e pensem se esta tragédia fosse aqui ao que cidadãos de bem estariam sujeitos.
Citei nosso povo mas há outros também que, infelizmente tem muito o que crescer culturalmente e não podemos comparar com a cultura milenar do Japão, pelo menos em ques tão de costumes sociais e bons principios de respeito mútuo.

  Existe uma explicação: cultura milenar! 

DEZ COISAS A SEREM APRENDIDAS  COM  O  JAPÃO

1 – A CALMA
Nenhuma imagem de gente se lamentando, gritando e reclamando que “havia perdido tudo”. A tristeza por si só já bastava.

2 – A DIGNIDADE
Filas disciplinadas para água e comida. Nenhuma palavra dura e nenhum gesto de desagravo.

3 – A HABILIDADE
Arquitetos fantásticos, por exemplo. Os prédios balançaram, mas não caíram.

4 – A SOLIDARIEDADE
As pessoas compravam somente o que realmente necessitavam no momento. Assim todos poderiam comprar alguma coisa.

5 – A ORDEM
Nenhum saque a lojas. Sem buzinaço e tráfego pesado nas estradas. Apenas compreensão.

6 – O SACRIFÍCIO
Cinquenta trabalhadores ficaram para bombear água do mar para os reatores da usina de Fukushima. Como poderão ser recompensados?

7 – A TERNURA
Os restaurantes cortaram pela metade seus preços. Caixas eletrônicos deixados sem qualquer tipo de vigilância. Os fortes cuidavam dos fracos.

8 – O TREINAMENTO
Velhos e jovens, todos sabiam o que fazer e fizeram exatamente o que lhes foi ensinado.

9 – A IMPRENSA
Mostraram enorme discrição nos boletins de notícias. Nada de reportagens sensacionalistas com repórteres imbecis. Apenas calmas reportagens dos fatos.

10 – A CONSCIÊNCIA
Quando a energia acabava em uma loja, as pessoas recolocavam as mercadorias nas prateleiras e saiam calmamente.

NENHUM ARRASTÃO, CONTRA O POVO ou PARA ROUBAR O COMÉRCIO

“A passagem do tempo deve ser uma conquista e não uma perda.”

“Viver é a única coisa que não dá para deixar para depois.

O que é seu é teu por direito… O que não te pertence, não roube, não queira ter vantagem sobre a perda de outra pessoa. Afinal, o que vale não é o valor material em si e sim o respeito ao próximo, e saber que fez o certo; que o que te pertence é pelo seu próprio esforço e merecimento!

fonte via e-mail

Anúncios

Como a nuvem radioativa de Fukushima influenciou as redes sociais

radioatividade.jpg

No dia 11 de março de 2011 o mundo teve sua atenção voltada para a tragédia nuclear de Fukushima causadapor um terremoto de escala 9,0. A partir desta data, este foi um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. Todos estavam estupefatos e tristes com o que havia acontecido e muitos sites, organizações humanitárias e Governates de vários países prestaram sua solidariedade.

A equipe do serviço de construção de sites e blogs Webnode fez um vídeo interativo com o mapeamento completo do impacto das notícias sobre Fukushima nas redes sociais. Só no dia 11, o dia do terremoto foram disparados 500 milhões de tweets.

Veja mais dados completos no site http://www.expansaosocial.org/

Consciência ecológica – Campanha contra uso de sacos plásticos

Muitos biólogos já vem nos alertando sobre o problema da lenta biodegradação dos saquinhos plásticos na natureza. Agora em Jundiaí e em algumas cidades de Minas Gerais já existe uma lei proibindo o uso de sacos de plásticos convencionais nos supermercados. Os donos destas redes agora tem que fornecer um tipo de saco plástico biodegradável (o que custa mais caro às empresas) ou vender sacos de pano retornáveis aos clientes sob pena de multa caso a lei seja descumprida.

Lembro-me que qunado era criança via meus pais e avós usarem estes tipos de sacolas retornáveis  sem problema algum, até que a modernidade trouxe estes saquinhos que conhecemos hoje que, são muito bons mas poluem demais o meio ambiente. Muitos destes sacos vão parar nomar e os peixes e tartarugas os engolem confundindo-os com águas-vivas.

A apresentação a seguir mostra de maneira clara o desperdício e prejuizos do uso destes saquinhos plásticos para a natureza. Esta apresentação foi uma das mais tweetadas de hoje e já recebeu 577 visitas até o momento no meu slideshare

Vale a pena o conteúdo desta.

por Milene Cristina Postado em mundo

200 anos, 200 países em 4 minutos

Um professor de Saúde Global conseguiu, com a ajuda de animação gráfica, contar a evolução da Saúde e de Doenças através de 200 anos de História de 200 países em 4 minutos.

Muito bom!! Haja fôlego e criatividade !!

PLAY


Controle de velocidade no Canadá